© 2015 por Feliz com FA - Uma jornada de amor. Designed By Rita de Cassia Paz. Desenvolvido por RP Produções, AP Makeup Artist e Lógica Filmes

  • RSS - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Feliz com FA

 

Sejam bem vindos! Aqui no Feliz com FA vocês vão encontrar vídeos, textos, material educativo e novidades sobre o mundo dos alérgicos a alimentos. Espero que gostem e compartilhem com parentes e amigos! Dessa forma entenderão melhor esse novo universo.

Inscrevam-se no canal, curtam a fanpage e fiquem ligados!

Siga

Vamos falar de leite vegetais e alergia ao leite de vaca? Na hora da escolha, quem pesa mais... arroz ou soja?

Todo mundo aqui já ouviu falar dos leites vegetais, não?

 

Porém, vegetais não dão leite!

 

Leite é um produto produzido por glândulas mamárias, uma mistura emulsificada de nutrientes produzida através do trabalho das glândulas de mamíferos.

 

O que conseguimos extrair de cereais e leguminosas são as chamadas BEBIDAS vegetais, espécie de suco, extraído de cereais e leguminosas geralmente. Chamamos de "leite" por convenção e justamente por causa da substituição muitas vezes do leite animal pelo vegetal quando há necessidade, mas trata-se de uma bebida, uma espécie de suco extraído do vegetal.

 

As bebidas vegetais caseiras não podem em valor nutricional substituir os leites dos mamíferos, isso porque seu conteúdo em nutrientes deixa muito a desejar para suprir os requerimentos nutricionais infantis, tanto em quantidades de proteínas, quanto em quantidade de lipídios essenciais. 

 

Além disso, numa bebida vegetal caseira temos fatores antinutricionais como a presença de fitatos, inibidores de proteases como o Kunitz e Bowman-Birk que muitas vezes não conseguimos neutralizar e que juntos, impedem a ação da tripsina e da quimiotripsina, enzimas importantes na quebra das próprias proteínas, fazendo com que essas proteínas ainda que poucas presentes nos vegetais não sejam devidamente quebradas por nossas enzimas. Em casa, não conseguimos inibir principalmente o inibidor Bowman-Birk pois ele é termoestável, não se desativando com o aquecimento. Por isso que não indicamos a troca de leite animal por bebidas vegetais caseiras em lactentes. A função do leite nessa idade é justamente oferecer os aminoácidos e lipídios como os LCPs necessários para o seu bom crescimento e desenvolvimento e nas bebidas vegetais temos isso empatado por esses fatores ou nem temos, além dos vegetais também não possuírem todos os aminoácidos essenciais em um único alimento, necessitando que sejam feitas associações para se completarem, tipo... feijão com arroz.

 

Na indústria, para uma bebida vegetal ser considerada apta para substituição do leite ela precisa ter completado o seu conteúdo de nutrientes, equiparando-os ao do leite pois a Legislação para fórmulas infantis do nosso país é bastante rigorosa. É obrigatório pelas normas da ANVISA que na indústria, as fórmulas vegetais infantis tenham seus aminoácidos completados para fornecer os 20 aminoácidos essenciais, seus lipídios adicionados ou corrigidos e os fatores antinutricionais extraídos. Portanto isoflavonas da soja responsáveis pelas alterações hormonais e arsênico presente no arroz além de outros fatores antinutricionais são excluídos por processos químicos eficazes.

 

Mas, Rita... você diz que não gosta de prescrever soja para pacientes com alergia a leite de vaca, por quê?

 

Bom, segundo vários artigos científicos ou seja, ciência baseada em evidência, 60% dos casos de crianças alérgicas ao leite, fazem cruzamento de suas proteínas promovendo também sensibilização à soja o que é muito ruim, pois se levarmos em consideração que quase tudo hoje tem soja... a dieta será bastante restrita. Isso porque a caseína se parece muito com a β-conglicina da soja. Portanto, nos meus pacientes, eu deixo para introduzir soja de forma tardia.

 

E então... o que fazer com não mediados após estabilização e uso de fórmulas de aminoácidos? Ficam eternamente na fórmula elementar? 

NÃO!!!!

Agora temos uma alternativa segura para os que não são alérgicos nem a arroz, nem a milho: os hidrolisados de arroz. E esses, como qualquer fórmula infantil tem seus nutrientes também corrigidos e livre de arsênico. 

 

Você pode estar se perguntando: Eu preciso então me preocupar com o tal ARSÊNICO? 

TAMBÉM NÃO! O arsênico presente no arroz não é suficiente para causar intoxicação em ninguém! Tudo que vem da terra, tem arsênico! O que seria então dos Orientais se arroz fosse realmente tóxico! Já teriam sido dizimados da face da terra pois se até suas bebidas como a nossa cachaça são de arroz.

Imagina aí?

 

A indústria de leites anda bem preocupada com isso e solta na internet informações inverídicas sobre essas fórmulas infantis. Espero que tenha ficado claro para quem tinha dúvidas!

 

Portanto, se o profissional que acompanha seu bebê sugerir uma dessas fórmulas infantis... não precisa ter medo!

Agora, bebidas comerciais achadas facilmente nos supermercados, já não são obrigadas a fazerem esses controles!

 

 

 

Please reload

Meu amor pelo que faço

Há 12 anos trabalho no SUS e me dedico de corpo e alma ao que faço. A minha missão: Conseguir orientar da forma correta o maior número de pessoas com relação às alergias alimentares e seus riscos.

Cuidar de crianças alérgicas envolve muito conhecimento, paciência e amor e isso eu tenho de sobra.

Fazer um bebê alérgico continuar sendo amamentado é uma conquista de equipe. Chegar a  tão esperada CURA, depende da união de todos. 


Aqui na página o envolvimento é de TODA a família! Mamãe, papai, vovô, vovó, a tia... e todos sempre juntos numa mesma luta para ganhar a grande batalha.

     

 Lembrem-se sempre!

Juntos somos mais fortes!

 

Sejam bem vindos e vamos aprender a ser Feliz com FA!

Please reload