© 2015 por Feliz com FA - Uma jornada de amor. Designed By Rita de Cassia Paz. Desenvolvido por RP Produções, AP Makeup Artist e Lógica Filmes

  • RSS - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Feliz com FA

 

Sejam bem vindos! Aqui no Feliz com FA vocês vão encontrar vídeos, textos, material educativo e novidades sobre o mundo dos alérgicos a alimentos. Espero que gostem e compartilhem com parentes e amigos! Dessa forma entenderão melhor esse novo universo.

Inscrevam-se no canal, curtam a fanpage e fiquem ligados!

Siga

Você sabe quais os direitos do seu bebê? Sabe que por lei ele tem direitos assegurados?

 Muitas pessoas não sabem mas exite hoje no país a Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras - de Portaria n 199/14, instituída pelo Governo Federal em 30 de janeiro de 2014 e que até agora na prática ainda não houve efetivamente implantação. Essa política garante no âmbito do SUS incentivos financeiros de custeio ao Estado ou Município que se organizarem para atender doenças tidas como "raras" de forma integral. Entende-se como doença rara, no Art. 3º da Portaria, toda doença em que afeta até 65 pessoas em cada 100.000 indivíduos, ou seja, 1,3 pessoas para cada 2.000 indivíduos, cerca de 6 a 8% da população. As alergias fazem parte do Eixo 2 da PNAIPDR. Sabemos que as alergias tem aumentado muito o seu número ou até mesmo estão sendo atualmente diagnosticadas. O que antes naõ passava de um simples "mal estar" ou "a comida caiu mal" hoje sabemos que podem ser reações alérgicas ou adversas aos alimentos. Quantas pessoas hoje têm filhos alérgicos e que durante até a amamentação por ter que excluir alimentos do seu dia a dia, descobre que tais alimentos modificavam seu estado de saúde? Os casos estão crescendo porque os diagnósticos estão sendo efetivamente fechados. Muitos exames hoje estão disponíveis a grande parte da população e especialistas estão cada dia mais pesquisando na área das alergias. Hoje, as crianças sendo diagnosticadas. Porém também sabemos que muitas das crianças sensibilizadas poderiam não estar assim, caso não tivessem sido prematuramente apresentados à proteína láctea. Quem nunca ouviu falar da "mamadeira assassina"? Açõs de prevenção devem ser emergencialmente implantadas. As chamadas "mamadeiras assassinas" precisam parar de ser implementadas nas maternidades. AMAMENTAR é PRIORITÁRIO no que diz respeito a todas as crianças e principalmente aos alérgicos pois além de alimentar, a mãe passa para o filho fator bífidus, IgA secretora e outros componentes que ajudarão o bebê a fazer a sua maturação imunológica estímulando dessa forma suas primeiras respostas a agentes agressores.

Sabemos que as fórmulas de aminoácidos algumas vezes são necessárias na hora da complementação e por vezes em alérgicos múltiplos são a única fonte de alimentos. O DIREITO A ALIMENTAÇÃO  é um DIREITO FUNDAMENTAL garantido pela  Lei 11.346 de 15 de setembro de 2006, Decreto nº 7272, no seu artg 1 e 2 que torna a ALIMENTAÇÃO um DIREITO FUNDAMENTAL, tornando dever do poder público o amparo à alimentação do menor quando a família não tem condições de assumir esta responsabilidade. A condição de hipossuficiência garante que esse DIREITO FUNDAMENTAL deve ser cumprido pela UNIÃO, ESTADO ou MUNÍCÍPIO, uma vez que garantir o cidadão os seus DIREITOS FUNDAMENTAIS é´de responsabilidade TRIPARTITE, ou seja das três esferas de poderes.

Vejo que por desespero algumas mães tem usado as chamada "bebidas" ou "leites" vegetais que em nada substituem as fórmulas para tratamento da ALV. Estas fórmulas não tratam as alérgias, pelo contrário! Podem estimular alergias a cereias ou leguminosas ou raízes pelo excesso de oferta desses alimentos sem o preparo inicial de apresentação desses alimentos, muitos deles são considerados também muito alergênicos como: soja, amêndoa, castanha, inhame e aveia. Os chamados leites vegetais são pobres em proteínas pois não possuem quantidades suficientes para bebês e nem possuem todos os aminoácidos essenciais que precisam nessa etapa da vida, sendo necessário complementar com vários alimentos para que se tenha os aminoácios esenciais que se encontram nas fórmulas e tão necessários aos bebês. Imagine como será a vida de um bebê alérgico multiplo sem poder comer de tudo?

Além disso, possuem fatores antinutricionias que desviam nutrientes, fatores inibidores de proteases como a tripsina, taninos e fitatos que comprometem a biodisponibilidade dos nutrientes da própria fórmula! Sem contar que parte dos cereias como soja, milho hoje no Brasil são transgênicos.

O tratamento da alergia ao leite é necessário! Reabilita a criança a tolerar o leite de vaca, melhora a qualidade de vida pois sabemos que hoje em tudo a indústria adiciona proteínas do leite, soja e ovo. As fórmulas são essenciais ao tratamento pois apresentam de forma lenta e gradativa ao organismo às proteínas do leite. Fazer o tratamento da forma correta só trará benefícios à criança e a sua família.

E saiba mais! O amparo a essas crianças ainda tem seus fundamentos no Estatuto da Criança e do Adolescente pelo menos para a lactente, pois é uma faixa etária crítica para o desenvolvimento tanto físico quanto neuropsicomotor, todos amparados na Lei 8069/90 no seu Artg 4º.

 

Lei nº 8069/90

*Art. 4º É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.

Portaria 199/14

**Art. 4º A Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras tem como objetivo reduzir a mortalidade, contribuir para a redução da morbimortalidade e das manifestações secundárias e a melhoria da qualidade de vida das pessoas, por meio de ações de promoção, prevenção, detecção precoce, tratamento oportuno redução de incapacidade e cuidados paliativos.

Lei 11346/06, Decreto nº7272

***Art. 1º Esta Lei estabelece as definições, princípios, diretrizes, objetivos e composição do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional . SISAN, por meio do qual o poder público,com a participação da sociedade civil organizada, formulará e implementará políticas, planos, programas e ações com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada.

Art. 2º A alimentação adequada é direito fundamental do ser humano, inerente à dignidade da pessoa humana e indispensável à realização dos direitos consagrados na Constituição Federal, devendo o poder público adotar as políticas e ações que se façam necessárias para promover e garantir a segurança alimentar e nutricional da população.

 

 

Please reload

Meu amor pelo que faço

Há 12 anos trabalho no SUS e me dedico de corpo e alma ao que faço. A minha missão: Conseguir orientar da forma correta o maior número de pessoas com relação às alergias alimentares e seus riscos.

Cuidar de crianças alérgicas envolve muito conhecimento, paciência e amor e isso eu tenho de sobra.

Fazer um bebê alérgico continuar sendo amamentado é uma conquista de equipe. Chegar a  tão esperada CURA, depende da união de todos. 


Aqui na página o envolvimento é de TODA a família! Mamãe, papai, vovô, vovó, a tia... e todos sempre juntos numa mesma luta para ganhar a grande batalha.

     

 Lembrem-se sempre!

Juntos somos mais fortes!

 

Sejam bem vindos e vamos aprender a ser Feliz com FA!

Please reload