© 2015 por Feliz com FA - Uma jornada de amor. Designed By Rita de Cassia Paz. Desenvolvido por RP Produções, AP Makeup Artist e Lógica Filmes

  • RSS - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Feliz com FA

 

Sejam bem vindos! Aqui no Feliz com FA vocês vão encontrar vídeos, textos, material educativo e novidades sobre o mundo dos alérgicos a alimentos. Espero que gostem e compartilhem com parentes e amigos! Dessa forma entenderão melhor esse novo universo.

Inscrevam-se no canal, curtam a fanpage e fiquem ligados!

Siga

GLÚTEN. Você sabe o que é?

Quem nunca ouviu falar do GLÚTEN? Você sabe o que é e de onde ele vem? Vilão ou mocinho? Faz bem ou mal? 

Estas são algumas dúvidas que sempre vemos as pessoas terem e que muitos me perguntam aqui na internet. Vamos de um modo bem simples através desse texto, tentar esclarecer essas dúvidas e estimulá-lo à reflexão quanto ao consumo.

Bem, em primeiro lugar, vamos entender o que é o GLÚTEN. O GLÚTEN corresponde à fração proteica dos grãos de trigo, cevada, centeio e aveia, composta por dois grandes grupos: o grupo das PROLAMINAS (onde se encontram a gliadina - trigo; hordeína - cevada; secalina - centeio e avenina na aveia) fração solúvel e mais tóxica e o grupo das GLUTENINAS, frações insolúveis e praticamente inquebráveis por enzimas humanas, porém igualmente tóxico em pacientes com doença celíaca. O GLÚTEN é portanto a junção de duas proteínas contidas no trigo (GLIADINA + GLUTENINA) e que por ação de processos energéticos e adição de água se combinam formando uma espécie de corda. Essa "corda" quando mais hidratada ou quanto mais água ela tiver, mais forte e enovelada ela ficará, tornando a dissociação ou separação dessas proteínas um trabalho muito difícil. Essa é a razão pela qual se adiciona água à farinha de trigo para se fazer pão. Quanto mais glúten uma massa tem, e mais água form adicionado a ela, mais capacidade elástica ela terá. Essa propriedade confere às massas que fazem pães a elasticidade perfeita para o seu crescimento estimulado pelo fermento. Possuem GLÚTEN vários tipos de cereais como o centeio, a cevada e a aveia. Não é por contaminação, mas por conter na sua estrutura grupos proteicos já citados acima. Maiores frações de glúten serão encontradas também se por contaminação esses cereais ainda tiverem contato com o trigo, porém nesse glúten terá gliadina. 

Vilão ou mocinho? Bom, vai depender da sua interpretação. Para mim, o que não conseguimos digerir da forma correta é vilão,  pois se comportará dentro da dieta como agente que empatará processo enzimáticos e metabólicos importantes. A sua presença pode atrapalhar a ação de enzimas que confeririam a alimentos associados ao glúten maior conteúdo nutritivo. O que não conseguimos quebrar... passa a incomodar. É como se fosse o Lex Luthor com criptonita atrapalhando o Supermen.

Faz bem ou mal? Também depende da sua interpretação, para mim faz mal, já que não conseguimos quebrá-lo da maneira correta. Se fizesse bem, conseguíamos quebrá-lo, absorvê-lo e metabolizá-lo para nosso total benefício. E o que não conseguimos quebrar, ou irrita ou se infiltra na mucosa intestinal.

E o consumo de GLÚTEN pode para alérgicos? O trato digestivo de pacientes alérgicos é bastante sensível a proteínas que não se quebram corretamente e portanto como já sabemos que nossas enzimas não conseguem quebra-lo, é importante evitar. O trigo é considerado um alimento muito alergênico e muitas vezes ele não está diretamente apresentado no alimento mas sob a forma de glúten. Sabemos que temos que ter muito cuidado com a rotulagem e evitar alimentos que contenham glúten funcionará como um fator protetivo. Prevenção sempre é melhor que tratamento.

Existem 3 tipos de manifestação do corpo à presença do GLÚTEN como fator desencadeador de processos de doença; a alergia, a intolerância e a doença celíaca. Somente com base em uma combinação de achados clínicos, biológicos, os dados genéticos e histológicos, é possível diferenciar as três condições.

Vale ressaltar que hoje, muitos alimentos ditos "infantis" contém GLÚTEN, mesmo que não indiquem nas embalagens a presença de trigo, e aí então podemos refletir... se não se indica introdução de pão na alimentação de um bebê, então por que se indica um alimento dito "infantil" que contém glúten? Não faz sentido não é mesmo?

É por isso que defendo a COMIDA DE VERDADE, pois quanto menos aditivos, conservantes e aromatizantes tivermos, menores serão as chances de desenvolvermos doenças.

Não estou dizendo com esse texto que é proibido alérgicos consumirem GLÚTEN mas estou apenas estimulando à reflexão com base nas informações que dei. Bom final de semana a todos!

 

 

Please reload

Meu amor pelo que faço

Há 12 anos trabalho no SUS e me dedico de corpo e alma ao que faço. A minha missão: Conseguir orientar da forma correta o maior número de pessoas com relação às alergias alimentares e seus riscos.

Cuidar de crianças alérgicas envolve muito conhecimento, paciência e amor e isso eu tenho de sobra.

Fazer um bebê alérgico continuar sendo amamentado é uma conquista de equipe. Chegar a  tão esperada CURA, depende da união de todos. 


Aqui na página o envolvimento é de TODA a família! Mamãe, papai, vovô, vovó, a tia... e todos sempre juntos numa mesma luta para ganhar a grande batalha.

     

 Lembrem-se sempre!

Juntos somos mais fortes!

 

Sejam bem vindos e vamos aprender a ser Feliz com FA!

Please reload