© 2015 por Feliz com FA - Uma jornada de amor. Designed By Rita de Cassia Paz. Desenvolvido por RP Produções, AP Makeup Artist e Lógica Filmes

  • RSS - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Feliz com FA

 

Sejam bem vindos! Aqui no Feliz com FA vocês vão encontrar vídeos, textos, material educativo e novidades sobre o mundo dos alérgicos a alimentos. Espero que gostem e compartilhem com parentes e amigos! Dessa forma entenderão melhor esse novo universo.

Inscrevam-se no canal, curtam a fanpage e fiquem ligados!

Siga

Conhecendo as fórmulas

 

O que temos para hoje?

 

A diferença entre as fórmulas. Quais as diferenças entre fórmulas de suspensão de aminoácidos e outras fórmulas?

 

Fórmulas de suspensão de aminoácidos: são suspensões de aminoácidos separados industrialmente. Os aminoácidos na sua condição livre não têm potencial alergênico. Somente em processos industriais conseguimos isolar os aminoácidos das proteínas e reduzí-los a aminoácidos livres. Estas fórmulas são consideradas dietas elementares pois na sua composição os nutrientes estão na sua forma mais elementar possível, apenas para ser absorvido com facilidade. São indicados no tratamento de crianças alérgicas a proteínas do leite de vaca e alergias múltiplas em franca crise, apresentando manifestações alérgicas tanto cutâneas quanto gastrointestinais quanto respiratórias e neurológicas. Também pode ser usado nos distúrbios de digestão e absorção de nutrientes. Por ser próprio para ser absorvido sem que seja necessário passar por processos de digestão NADA pode ser adicionado à sua preparação, apenas água. Caso haja alguma adição de alimentos (frutas e cereais) que não sofreram o mesmo processamento industrial para que seus componentes sejam reduzidos de igual forma, estas adições irão implicar em combinações químicas que impedirão a real utilidade da fórmula. Não há como funcionar da mesma forma com que foi projetado se adicionando alimentos que terão que passar por processo digestório e que terão componentes quimicamente ativos que irão se combinar formando compostos antinutricionais.

Fórmulas extensamente hidrolisadas sem lactose: as fórmulas extensamente hidrolisadas a partir das proteínas do soro do leite (100% extensamente hidrolisadas) são industrialmente inativadas para que o Sistema Imunológico não reconheça como agente agressor. Essas proteínas são reduzidas a pequeníssimas frações de proteínas para que não se façam ser percebidas pelo Sistema Imunológico da criança. É considerada uma fórmula semi-elementar pois seus outros componentes também sofrem hidrólise industrial para que sejam absorvidos com facilidade. Por ser próprio para ser absorvido sem que seja necessário passar por muitos processos de digestão NADA pode ser adicionado à sua preparação, apenas água. Da mesma forma que as fórmulas de suspensão de aminoácidos, caso se faça alguma adição de alimentos (frutas e cereais) que não sofreram o mesmo processamento industrial para que seus componentes sejam reduzidos de igual forma, estas adições irão implicar também em combinações químicas que impedirão a real utilidade da fórmula. Novamente reitero que não há como funcionar da mesma forma com que foi projetado se adicionando alimentos que terão que passar por processo digestório e que terão componentes quimicamente ativos que ao serem misturados irão se combinar formando compostos antinutricionais. Essas misturas prejudicarão o processo absortivo, impedindo que a fórmula garanta a nutrição da criança que o toma. São indicados no tratamento de crianças alérgicas a proteínas do leite de vaca e alergias múltiplas estabilizadas, para transição da fórmula de aminoácido fazendo com que aos poucos a criança inicie sua reabilitação à proteína que fez reação. Também pode ser usado nos distúrbios de digestão e absorção de nutrientes, na fibrose cística, na doença inflamatória intestinal, nos quadros de diarreia cônica ou persistente e na transição de dieta parenteral (desmame) para enteral pois seus componentes se encontram na forma semi elementar restando pouco trabalho ao sistema digestório e absortivo para trazê-lo para dentro do corpo.

Fórmulas extensamente hidrolisadas com lactose e fibras: da mesma forma que as outras fórmulas extensamente hidrolisadas elas sofrem hidólise a partir das proteínas do soro do leite que são industrialmente inativadas para que o Sistema Imunológico não reconheça como agente agressor. Essas fórmulas possuem como uma das fontes de carboidratos a LACTOSE (40%) que é o carboidrato do leite para que possa ser estimulada a produção da enzima lactase de forma gradual e a reabilitação possa continuar a ser feita. Essas fórmulas também possuem FOS e GOS (fibras solúveis que vão servir de prebióticos) ajudando a microbiota da criança a se reestabelecer. É considerada também uma fórmula semi-elementar pois seus outros componentes também sofrem hidrólise industrial para que sejam absorvidos com facilidade. Por ser próprio para ser absorvido sem que seja necessário passar por muitos processos de digestão também NADA pode ser adicionado à sua preparação, apenas água. Da mesma forma que as fórmulas de proteína extensamente hidrolisada sem lactose e sem fibras, caso se faça alguma adição de alimentos (frutas e cereais) que não sofreram o mesmo processamento industrial para que seus componentes sejam reduzidos de igual forma, estas adições irão implicar também em combinações químicas que impedirão a real utilidade da fórmula. Mais uma vez, reitero que não há como funcionar da mesma forma com que foi projetado se adicionando alimentos que terão que passar por processo digestório e que terão componentes quimicamente ativos que ao serem misturados irão se combinar formando novamente compostos antinutricionais. São indicados no tratamento de crianças alérgicas a proteínas do leite de vaca e alergias múltiplas estabilizadas, para transição da fórmula de extensamente hidrolisada sem lactose e sem fibras fazendo com que aos poucos a criança inicie sua reabilitação tanto à proteína que fez reação quanto à lactose presente nela. Também pode ser usado nos distúrbios de digestão e absorção de nutrientes pois seus componentes se encontram na forma semi elementar restando pouco trabalho ao sistema de absorção para trazê-lo para dentro do corpo. Apenas em situações de quadros diarreicos não é indicado o uso pela presença da lactose.

Fórmulas parcialmente hidrolisadas com lactose e fibras: as fórmulas parcialmente hidrolisadas a partir das proteínas do soro do leite são industrialmente trabalhadas de forma a reduzir o seu potencial alergênico. Reduz o potencial alergênico dos epítopos das proteínas reconhecidos elas células Sistema Imunológico, tornando mais difícil que o mesmo as reconheçam como agentes agressores, porém isso não garante que as crianças mais sensíveis não reajam. Crianças que tem ALV confirmada podem facilmente reagir a essas proteínas parcialmente hidrolisadas. Essas fórmulas possuem como fonte de carboidratos o carboidrato do leite (100% LACTOSE) para que possam ser continuados os estímulos na produção da lactase. Essas fórmulas também possuem FOS e GOS (fibras solúveis que vão servir de prebióticos) ajudando a microbiota da criança a se reestabelecer. Da mesma forma que as fórmulas de proteína extensamente hidrolisada com lactose e com fibras anteriormente citadas, caso se faça alguma adição de alimentos (frutas e cereais) que não sofreram o mesmo processamento industrial para que seus componentes sejam reduzidos de igual forma, estas adições irão implicar também em combinações químicas que impedirão a real utilidade da fórmula. Mais uma vez, reitero que não há como funcionar da mesma forma com que foi projetado se adicionando alimentos que terão que passar por processo digestório e que terão componentes quimicamente ativos que ao serem misturados irão se combinar formando novamente compostos antinutricionais. Apesar do tratamento industrial, essa fórmula não é considerada um LEITE, portanto sua função não é de substituí-lo em receitas, e sim reabilitar a criança alérgica ao leite ao contato com o mesmo. 
Para melhor entendimento, NENHUMA DAS FÓRMULAS citadas acima servem como substitutos do LEITE em RECEITAS! Substitui os aminoácidos do LEITE para que as crianças recebam esses aminoácidos, e não para elaboração de receitas que possam comprometer a BIODISPONIBILIDADE dos mesmos.

Após toda esta sequência seguida e reavaliação do médico e da nutricionista, o MÉDICO, começará a fazer os testes de provocação oral, que deverão ser feitos em ambiente hospitalar ou consultório, sempre feitos na presença do médico assistente sob supervisão para que se detecte se há ou não reação ao leite.
Fazer esta sequência sem SUPERVISÃO MÉDICA constitui PERIGO e RISCO DE MORTE para a criança alérgica. Portanto NÃO FAÇAM SOZINHAS!!!!
Bom feriado para quem está de feriado e bom dia para quem está no batente!

Please reload

Meu amor pelo que faço

Há 12 anos trabalho no SUS e me dedico de corpo e alma ao que faço. A minha missão: Conseguir orientar da forma correta o maior número de pessoas com relação às alergias alimentares e seus riscos.

Cuidar de crianças alérgicas envolve muito conhecimento, paciência e amor e isso eu tenho de sobra.

Fazer um bebê alérgico continuar sendo amamentado é uma conquista de equipe. Chegar a  tão esperada CURA, depende da união de todos. 


Aqui na página o envolvimento é de TODA a família! Mamãe, papai, vovô, vovó, a tia... e todos sempre juntos numa mesma luta para ganhar a grande batalha.

     

 Lembrem-se sempre!

Juntos somos mais fortes!

 

Sejam bem vindos e vamos aprender a ser Feliz com FA!

Please reload